Cabrobó: Codevasf faz testes do sistema de saneamento

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (05), o superintendente regional da Codevasf em Petrolina, Aurivalter Cordeiro, acompanhado de técnicos da empresa e da prefeitura municipal, fez os testes no sistema de esgotamento sanitário em Cabrobó, no semiárido pernambucano, que envolveu um investimento federal de R$ 13,8 milhões.

Em breve, a população urbana do município  será beneficiada com a conclusão do sistema que está sendo construído pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

O sistema tem capacidade de coletar, transportar e tratar 69,4 litros por segundo de esgoto e deverá atender a uma população urbana de cerca de 27,8 mil habitantes. “Saneamento significa redução da mortalidade infantil, longevidade, saúde da comunidade – principalmente quando se vai conseguir atender à quase totalidade da população da sede de Cabrobó”, destacou Cordeiro.

O sistema é composto por quatro bacias onde estão implantadas quatro estações elevatórias de esgoto. A obra também inclui rede coletora com extensão total de 16,3 km, 2.422 ligações domiciliares e 24,5 km de ligações condominiais, além de uma estação de tratamento composta por duas lagoas de estabilização, sendo uma lagoa facultativa e uma de maturação.

De acordo com o engenheiro civil Maxwell Lima, gerente regional substituto de revitalização de bacias da Codevasf em Petrolina, após a conclusão da obra a Codevasf irá repassar o sistema para a prefeitura municipal, que deverá tomar as medidas cabíveis para operá-lo direta ou indiretamente por meio de concessão da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

Conservação dos recursos naturais

Atenta aos problemas sociais e ambientais advindos da falta de tratamento dos esgotos sanitários domésticos, a Codevasf investiu até hoje, no âmbito do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, cerca de R$ 1,8 bilhão na implantação de sistemas de tratamento de esgoto na bacia do São Francisco.

Sobre Edenevaldo Alves

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

Início